Read more

2121 – Capítulo 24

Ler capítulos anteriores

Capítulo 24 – Empatia

 

– Vou lá buscar Theo para o café. – Sam disse após bocejar, enquanto Mike ainda se vestia naquela manhã.

– Deixe que o namoradinho dela leve.

Sam apenas suspirou.

– Sam?

Ouviu-se a porta fechando.

Theo abriu a porta de seu quarto para Sam, que inclinou-se para dentro, dando uma boa olhada.

– Bom dia, oficial. – Theo cumprimentou.

Sam ainda olhava sobre o ombro dela, procurando por Theodore.

– Não está sozinha? – Theo perguntou com receio, após o silêncio de Sam.

– Estou. Bom dia. O curativo não está bem feito, levou pontos? – Sam disse olhando de perto o curativo em seu rosto.

– Theodore tinha aquela máquina de suturar sem agulha.

– Que bom, não vai ficar com cicatriz.

– Cicatriz é bom que impõe medo. – Theo sorriu.

– Vem, vamos descer para o café, Mike já vai descer também.

No elevador, Sam parecia apreensiva, à medida que os dias passavam ela parecia cada vez mais perdida e confusa.

– Eu acho que Mike suspeita de algo. – Quebrou o silêncio.

– Por que diz isto? Ele comentou alguma coisa?

– Não, mas ele está me tratando diferente.

– Como?

– Essa noite, foi diferente, entende? Ele usou uma posição que nunca havia feito. E usou as mãos, Mike nunca usa as mãos para fazer sexo comigo.

– Você tem ideia da quantidade de imagens que acabou de enfiar na minha mente?

– Isso me preocupou, por isso estou dividindo com você. E você não tem problemas com esse assunto, é tão desencanada, achei que poderia conversar sobre isso com você.

– Claro que não me importo de ter você me detalhando sua relação sexual com Mike, é uma coisa tão agradável e interessante. – Disse com um semblante de asco.

– Ah bom, achei que você tinha algum problema com isso. Como eu ia falando, ele parecia querer mostrar alguma coisa, ele inclusive ficou por trás, ele nunca havia feito nada parecido nestes cinco anos que temos relações.

– E você faltou as aulas de ironia?? – Theo respondeu, incrédula.

– Você estava sendo irônica?

– É óbvio que sim! – Theo falou com impaciência.

– Ok, desculpe então.

Silêncio.

– Pelo menos chegou lá? – Theo perguntou.

– Não.

– Chegou perto?

– Não.

– Hum, que pena.

Sam olhava timidamente para Theo, de forma discreta. Sentia uma vontade avassaladora de estar com ela, abraçá-la até não sentir mais seus braços.

– Eu sinto sua falta. – Sam falou com uma voz sofrível.

– Você não deveria. – Theo rebateu, de forma séria.

– Eu sei… Eu… Eu queria tanto poder te tocar, dormir com você, ter você em cima de mim enquanto eu desenho lemniscatas na sua pele. – Sam quase sorriu. – Achei que as coisas seriam diferentes depois que Mike chegasse, sabe, mais fáceis…

– Esqueça tudo isso.

– Não consigo… Eu penso em você o tempo todo. Mas não posso cair em tentação, isso não pode acontecer.

Theo ficou em silêncio.

– Me ouviu? Não sei se sou forte o suficiente, não deixe que eu caia em tentação. – Sam insistiu.

– Se você cair, eu direi não. – Theo falou incisivamente.

– Era isso que eu precisava ouvir.

Faziam seu prato no buffet, quando Theodore as cumprimentou com um bom dia sorridente.

– A cabeça ainda dói? – Ele perguntou.

– Quase nada, aquele seu remédio foi tiro e queda.

– Bom, eu estou ali naquele canto, me acompanha?

– Claro, Sam me leva até lá quando eu fizer meu prato.

Theodore voltou para sua mesa sob o olhar gelado de Sam.

– Você passou a noite com Theodore? – Sam perguntou sem rodeios.

– Passei a noite? – Theo franziu a testa. – Você está perguntando se dormi com ele?

– Dormiu?

Theo riu.

– E se tivesse dormido?

– Espero que tenha cobrado um bom valor.

***

Theo passou o dia sem trocar palavra alguma com Sam, o desconforto de ambas estava mais evidente do que nunca, sentia-se o clima pesando, uma nuvem cinza palpável sobre elas, estava quase insustentável aqueles três dividirem o mesmo espaço. Quase.

No início da noite, Sam recebeu uma ligação de um perfil sem identificação.

– Você está demorando para trazer minha encomenda, sei que o prazo foi você quem estipulou, mas também tenho urgência. – Uma voz masculina grave disse do outro lado.

– David?

– Sim. Seu novo coração está aqui prontinho, apenas esperando que você traga o combinado.

– Estou na trilha certa, mas você teria mais alguma orientação, alguma nova pista para me dar?

– Não, apenas descobri que o número de matrizes é maior do que eu imaginava, mas saiba que você só terá seu coração se trouxer as matrizes zero.

– Elas devem estar todas no mesmo lugar, levarei para você, prometo.

– É sua vida que está em jogo, gatinha.

A ligação finalizou-se.

– David? David? Droga.

– Quem é David? – Mike perguntou.

– Meu contratante. Ele disse que o número de matrizes é maior do que ele imaginava, não sei como essa informação pode ser importante, mas talvez seja, preciso prestar atenção a este detalhe.

– Não deve ser nada demais. Vamos jantar aqui, depois procuramos hotel. – Mike informou, parando o carro.

– Que cidade é essa? – Sam perguntou, já colocando a mão de Theo em seu braço, fora do carro.

– Outra dessas cidades miseráveis, Puerto Quijarro. Amanhã de manhã cruzaremos a fronteira com o Brasil, espero que as coisas sejam melhores por lá.

Acomodaram-se numa mesa retangular, era uma grande lanchonete que também servia refeições.

Aguardavam seus pedidos quando Sam percebeu que Mike olhava de tempos em tempos com impaciência para algum canto mais ao fundo, ela estava sentada na frente dele.

– O que foi, amor? – Sam perguntou.

– Se ninguém fizer nada, eu vou tirar esses caras daqui de dentro com minhas próprias mãos.

– Do que você está falando? – Sam olhou para trás novamente, por cima do ombro, e pode ver então do que Mike falava.

Na última mesa da lanchonete um casal de garotos conversava de forma íntima, um deles estava com o braço por cima dos ombros do outro.

– Aquela pouca vergonha lá no canto.

A garçonete trouxe as refeições, e enquanto colocava calmamente sobre a mesa, Mike a interpelou.

– Senhorita, tem um casal gay naquele canto, se vocês não fizerem algo para que eles parem com aquela nojeira, eu mesmo farei algo.

– Ãhn… Eles não estão fazendo nada de errado, senhor.

– Como não? Tem uma família com três crianças aqui, percebeu? – Mike apontou para outra mesa.

– E o que que tem? – A jovem garçonete perguntou ingenuamente.

– Aquilo é uma afronta à moral, à família tradicional. Como o pai dessas crianças vai explicar isso para os filhos?

Era visível o esforço de Theo para não se meter nessa situação.

– Mas é apenas um casal demonstrando carinho, como todos os outros.

– Já percebi que vocês perderam completamente o bom senso por aqui, esse lugar é uma perdição completa… – Mike resmungava, enquanto a garçonete apenas afastou-se.

– Mike, vamos jantar, ainda temos que procurar um hotel, já está ficando tarde. – Sam disse.

Theo mexia com desânimo a refeição à sua frente, enquanto Mike devorava seu prato, mas ele parou o garfo no ar quando olhou na direção dos garotos.

– Agora eles passaram dos limites. – Esbravejou largando os talheres na mesa, levantando-se num rompante.

– Onde você vai?

– Expulsá-los, já que sou o único homem de bem desse lugar.

Mike aproximou-se dos garotos, que aparentavam não mais que vinte anos. Eles olharam assustados na direção do soldado grandalhão que os abordou de forma truculenta.

– Se vocês não saírem por bem, terei que usar a força. – Mike disse.

– Sair? Por que?

– Tem família aqui, tem minha noiva, e vocês estão desrespeitando essas pessoas.

– Cara, volte para o século passado de onde você saiu, nos deixe em paz. – O rapaz que estava do lado de fora do banco respondeu, já pegando seu copo de suco a frente.

– Eu avisei. – Mike derrubou o copo de sua mão, e o ergueu pelo braço, o arrastando até a porta da rua.

– Hey, seu babaca! Me solte! – Ele se debatia, por fim Mike o atirou na calçada, seu namorado o seguiu, assustado e pedindo socorro.

Sam também foi até a porta, tentou convencer Mike a parar com o que estava fazendo, mas ele não deu ouvidos, por fim empurrou violentamente o outro garoto. Theo ouvia tudo da mesa, assombrada.

– Bando de bichas! Tomem vergonha na cara e sejam homens! – Mike bradou, virando as costas para eles, que foram embora rapidamente.

Mike voltou à sua mesa, Sam pediu desculpas discretamente para a garçonete atrás do balcão e sentou-se também, agora ao lado de Mike, de frente para Theo, que assimilava o que havia acontecido.

– Você é um animal. – Theo resolveu se manifestar, pasmada com a reação de Mike.

– Animais são esse bando de gente libertina.

– Você machucou os garotos? – Theo perguntou.

– Apenas dei uma lição, coloquei para fora daqui.

– Sam, ele machucou os garotos?

– Não.

– Você se sensibilizou com os veadinhos porque também é dessa laia, não é? – Mike provocou.

– Mesmo se eu não fosse teria achado isso um absurdo irracional sem tamanho, você não pode impor sua homofobia sobre os outros, aqui é um país livre.

Mike sorriu, deu uma garfada, e ainda terminando de mastigar voltou a falar, gesticulando o garfo no ar, com ar prepotente.

– Sabe o que eu acho que resolveria a situação de vocês? Deveria cair uma peste negra, como houve no século XX aquele câncer gay, uma maldição que caísse sobre os homossexuais, que dizimassem todos eles da face da terra, seria uma limpeza. Se todos morressem acabariam as doenças sexualmente transmissíveis, a pedofilia, a inversão de valores, o sexo sujo, e toda imundície que vem com vocês.

– Você está sendo radical, Mike. – Sam se manifestou.

– Sam, não defenda esse pessoal, você é uma mulher direta, não é um deles. – Mike disse.

– Eu sei, eu não estou defendendo, eu só…

Theo a interrompeu.

– Ela não precisa ser um deles para defendê-los, isso se chama empatia, saber se colocar no lugar do outro, compreender os sentimentos e problemas do próximo, pensei que a igreja ainda ensinasse essas coisas.

– Esses devassos abraçam a vida errante porque querem, como eu posso me solidarizar com quem escolhe o caminho errado? Não compreendemos nem queremos compreender os pecadores, Samantha também abomina os homossexuais, ela foi bem criada, não aceita esse comportamento.

– Não, ela é um ser muito mais evoluído que você, e mais humana também.

– Ok, deixemos que ela se manifeste então. Diga Sam, você também não abomina essas aberrações da natureza?

Sam olhou para Theo, cabisbaixa, com um semblante sofrível.

– Mike…

– Abomina ou não abomina? – Mike insistiu, com determinação.

– Sim.

Mike abriu um largo sorriso.

– Viu? Você acha que eu seria noivo de alguém sem valores, com pensamentos diferentes dos meus? Sam sempre pensou como eu, teve os mesmos princípios cristãos e ensinamentos. – Mike colocou sua mão por cima da mão dela, lhe dando um beijo. – Por isso que tenho tanto orgulho de você, meu amor.

– Sam, você concorda que todos os homossexuais deveriam morrer? – Theo a indagou.

Sam ergueu a cabeça, fitando agora Mike.

– Não gosto desses radicalismos, podemos mudar de assunto?

– Responda, Sam, sim ou não? – Mike exigiu. – Não seria melhor um mundo sem essas aberrações?

– Talvez, quem sabe assim o mal se arrancaria pela raiz.

Mike sorriu novamente, enquanto Theo ergueu as sobrancelhas, assombrada com o que ouvira.

– Vamos encerrar esse assunto, por favor. Eles já foram embora, acabou o problema. Theo, coma logo sua comida. – Sam disse, com perturbação.

– Perdi a fome. – Empurrou o prato para a frente.

– Vai desperdiçar comida? – Mike falou. – Que acha de ficar até amanhã à noite sem comer?

– Sou boa nesse jogo. – Theo retrucou.

– Theo, pare com isso, coma logo. – Sam ordenou.

Ela voltou ao silêncio, a decepção com Sam era visível. Minutos depois já haviam encontrado um lugar para passar a noite.

– Mike, esse hotel deve ser caríssimo. – Sam argumentou quando percebeu onde Mike havia entrado.

– Se eu posso te dar conforto, então te darei.

Os três subiam o elevador em silêncio, Mike enlaçou Sam pela cintura, lhe beijando. Sam não o correspondeu por muito tempo, cessando o beijo, desconfortável.

– O que foi? Theo não se importa, não é Theo? – Mike perguntou com sarcasmo.

– Nem um pouco, fiquem à vontade.

– Viu? Ela nem enxerga.

Sam levou rapidamente Theo até seu quarto, o hotel era o mais luxuoso até o momento, além de uma grande cama, havia uma confortável poltrona vermelha aveludada ao lado da porta. Na lateral, uma pequena sacada com cortinas finas e brancas encobrindo a porta de vidro.

Theo apenas agradeceu de forma seca. Atirou o boné na cama, com raiva, assim que fechou a porta. Sam voltou ao seu quarto com a mesma sensação ruim que subiu em seu peito durante todo o dia, agora chegava à garganta.

Após manterem relações, Mike saiu do banheiro dando orientações à Sam.

– Eu quero que você vá ao quarto dela.

– Para que? – Sam disse, subindo o lençol.

– Vista-se e vá até lá dar um ultimato.

Mike largou a toalha sobre a poltrona ao canto, parou em frente a cama, a fitando.

– Se ela não parar de me provocar, vai perder a carona. E esse é meu último aviso.

– Você também a provoca.

– Mas quem me deve respeito é ela, então vá até lá, e a coloque em seu lugar.

Sam arrastava-se pelo corredor apertado, de papel de parede cinza e azul. Parecia carregar bolas de chumbo em seus pés, dando sinais de exaustão.

– Boa noite. – Theo disse, séria, ao abrir a porta.

– Boa noite, posso entrar? – Sam era um misto de transtorno e apreensão.

– Está sozinha?

– Sim.

– Espero que Mike saiba desta sua fuga.

– Sabe, ele pediu que eu viesse aqui.

– Entre. Sinta-se em casa, e não repare a bagunça.

– Realmente está bagunçado, como vai se organizar amanhã?

– Eu me viro, tenho me virado bem.

Sam parou de caminhar pelo quarto, e fitou Theo, que estava recostada na mesa.

– Eu vim conversar com você. – Sam disse, de forma sóbria.

– Que bom, porque também preciso conversar com você. – Theo rebateu.

– Sobre o que?

– Você primeiro.

– Ok. – Sam sentou-se na cama, de frente para Theo. – Eu vim pedir para você parar de provocar Mike.

Theo ergueu as sobrancelhas, surpresa.

– Provocar?

– Sim, seja mais tolerante com ele, eu sei que você consegue. Mike está irritado com você, essa convivência está o deixando estressado, e eu sei que se você evitar respondê-lo, evitar esse atrito, o clima vai melhorar. Será melhor para nós três, você também quer uma convivência melhor, não quer?

– Absolutamente.

– Então, promete não revidá-lo mais? Só estou pedindo que segure seu ímpeto de argumentar tudo, que… Fique na sua. É só isso que peço.

Theo balançava a cabeça lentamente, com o olhar baixo, assimilando.

– Ele está se esforçando para que as coisas fiquem bem. – Sam continuou. – Preciso que faça sua parte também, que o respeite.

– Sabe, Sam, fico feliz que você tenha falado primeiro. Porque o que tenho a dizer vai resolver essa situação com maestria.

– O que você quer falar?

– Agora a pouco eu desci na recepção e conversei com o pessoal de lá, e olha só que fantástico! Amanhã de manhã cruzaremos a fronteira, certo? Entraremos no Brasil, em Corumbá.

– Sim, e?

– Em Corumbá tem uma instituição do governo, eles acolhem pessoas e ajudam a voltar para casa, já tenho o nome e endereço. Mas precisarei de um último favor: que vocês me deixem lá amanhã de manhã, mas tem que ser depois das oito, que é o horário que o atendimento externo abre, você pode me deixar lá após as oito? É no caminho de vocês, só quero uma caroninha.

Sam apenas a fitava, estarrecida.

– Mike vai ficar tão feliz. – Theo dizia, com sarcasmo. – E então, posso contar com este último favor?

– Você vai me abandonar? – Sam falava com perturbação, ainda boquiaberta.

– Não, tecnicamente, não. Theodore me arranjou um comunicador, é um daqueles antigos, mas funciona, já testei. Você poderá entrar em contato sempre que precisar. Tem uma dúvida? Me liga. Quer algum conselho? Me liga. Desde que não seja conselho sentimental, é claro. – Theo riu. – Mas qualquer assunto referente à sua busca, que eu puder te ajudar, não hesite em entrar em contato, prometo sempre te atender prontamente.

– Por que? Por que vai me deixar?

– Pelo amor de Deus, Sam, você é cega e surda por acaso?? Mike não me suporta, e eu idem. Não existe a menor possibilidade de continuar ao lado daquele soldadinho de chumbo arrogante e babaca! Ok, desculpe o tom, é seu noivo, em agosto você subirá ao altar com ele, devo mais respeito, eu sei, eu sei…

Ficaram em silêncio por um instante.

– Você disse que iria até o fim. – Sam resmungou.

– Eu vou, só que não fisicamente. Relaxa, vou te visitar em Kent, serei madrinha do seu casamento.

– Por que está fazendo isso? Você tem ciúmes dele? Achei que você tivesse compreendido que nunca teríamos nada, o acordo servia para isso. Ou você acha que ainda teremos algum acordo?

– Acordo? Acordo? Foda-se o acordo, Sam! Eu não quero porra nenhuma com você, só não quero ter que conviver mais nem um minuto com aquele porco machista egocêntrico misógino e homofóbico! Eu estou pouco me lixando se você está dando o rabo para aquele major do raio que o parta, eu só quero ficar bem longe de vocês! – Theo dizia, gesticulando, de pé em frente à poltrona vermelha.

Sam uniu as mãos em seu colo, ainda sentada na cama.

– Longe de mim também?

– Sim, longe de você também, não quero estar ao lado de alguém que diz que deseja minha morte com a naturalidade de quem fala que precisa comprar pão.

– Eu não desejo sua morte, eu falei aquilo para agradar Mike, para encerrar logo aquela discussão.

– Aquela é você, Sam! No fundo você quer que todo mundo diferente de você exploda, morra, que fiquem apenas os cristãos puros de coração e alma, não é?

– Você acha mesmo que desejo sua morte? Eu nunca sequer desejei seu mal.

– Não, mas sua hipocrisia e sua passividade atingiram níveis estratosféricos. – Theo balançou a cabeça de forma desanimada, cabisbaixa. – Vocês dois se merecem, foram feitos um para o outro.

– Não esperava isso de você…

– Algo mais que queira conversar? Quer perguntar algo antes de nos separarmos? Amanhã não teremos tempo para conversar.

– Talvez nunca mais nos vejamos… – Sam dizia com um forte pesar nas palavras, a cabeça já latejava.

Theo passou as mãos pela cabeça, acalmando-se.

– Você vai sobreviver, oficial. Um dia nos reencontraremos.

– É, quem sabe… – Sam murmurou, tentando não chorar.

– Não pense que não sentirei sua falta. Eu sentirei.

Sam ergueu a cabeça, a fitando com um último fio de esperança.

– É decisão tomada, ou…

– É decisão tomada, prometo me despedir de forma respeitosa de vocês amanhã. E te deixar meu contato, posso te ligar todos os dias, se quiser.

– Se é assim que você quer, assim será. Mike me acompanhará até o fim, ele está empenhado e tenho certeza que logo estaremos voltando para a Inglaterra, deixando tudo isso para trás, meus erros e pecados ficarão aqui.

Theo ficou em silêncio por um instante, abriu um pequeno sorriso decepcionado.

– Essa é a verdadeira Sam, não é? Na verdade você nunca foi aquela mulher que esteve ao meu lado nas últimas semanas, aquela que eu admirava. Eu estou finalmente te conhecendo. – Theo se dava conta.

– Isso não importa, quem eu amo está finalmente ao meu lado, só quero tocar minha vida com Mike.

– E eu ficarei imensamente feliz com a felicidade conjugal de vocês. Por falar nisso, como vocês estão? Se entendendo?

– Estamos bem, está tudo ótimo entre nós.

– É mesmo?

– Nunca estivemos tão bem quanto agora. – Sam respondeu com soberba.

– Então ele já está comendo você direito? Ou ainda está bancando o coelho egoísta? – Theo sorriu.

Sam apenas abriu a boca, enfurecida, mas não pronunciou palavra alguma.

– Sugira o fio terra para ele, talvez ele goste. – Theo zombava.

– Esteja de pé as 7:30h. – Sam saiu rapidamente, batendo a porta.

 

Sam entrou no quarto com ares arrasados e passos arrastados, segurando-se para não chorar. Foi até o banheiro, fechou a porta e chorou copiosamente com a cabeça inclinada sobre a pia. Alguns minutos depois lavou o rosto, e ouviu Mike a chamando.

Enxugou o rosto e encarou-se por algum tempo no espelho, engoliu o restante de seu pranto e saiu do banheiro.

– Deite aqui. – Mike estava deitado, vendo TV.

Sam aninhou-se em seu peito, em silêncio.

– Conversou com ela? Ela vai começar a me respeitar?

– Conversei. Ela vai embora amanhã.

– Você a mandou embora? – Mike sorriu.

– Não, ela decidiu ficar na próxima cidade.

– Amor, você não poderia me dar melhor notícia, finalmente vamos tirar esse fardo de nossas costas. – Mike afagava seu ombro.

– É… Na verdade acho que você tem razão, ela estava atrapalhando nossa relação, vai ser bom para nós, apenas eu e você, como deve ser. – Sam respondeu, convencendo-se do que falava.

– O que acha de comemorarmos nossa liberdade? – Mike disse com a voz maliciosa, subindo sua mão por baixo da camiseta de Sam.

– Não… Não estou a fim…

– Vamos lá… Faça seu major feliz. – Mike disse já girando para cima de Sam.

– Não quero, Mike, não estou no clima, já fizemos essa noite.

– E daí? Eu sou homem, tenho minhas necessidades.

– Faremos amanhã de manhã, ok?

– Não, eu quero agora, vamos Sam, deixe de frescura. – Mike começou a beijar seu pescoço, baixando sua calça. Sam acabou cedendo, contra sua vontade.

Mike logo em seguida adormeceu, mas Sam não dormiu naquela noite. Varou a madrugada ora deitada fitando o teto, ora olhando pelo vidro da sacada. Com a iminência da partida de Theo, seus pensamentos voltavam a lhe pregar peças, a inundar de inseguranças e incertezas. Nunca imaginou que um coração artificial pudesse doer tanto.

Assim que o sol despontou, pouco depois das seis da manhã, Mike acordou, estranhando a ausência de Sam ao seu lado.

– Já acordada? – Mike perguntou, sonolento, ao ver Sam de pé junto à sacada.

– Eu não consegui dormir.

– Por que?

Sam hesitava em falar, procurando as palavras. Ostentava grande abatimento, um cansaço físico e mental que a deixava quase como um zumbi.

– O que foi? – Mike insistiu, apoiando-se nos cotovelos.

– Mike… Eu tive um caso com Theo.

***

Theo acordou cedo, antes das sete da manhã. Arrumou-se e arrumou suas coisas, metodicamente, deixando tudo pronto para partir. Consultou as horas, ia dar sete e meia, desceu sozinha para o refeitório onde servia-se o café da manhã, tateando e pedindo orientações na recepção.

Serviu-se com o auxílio de uma senhora, que a conduziu até uma mesa próxima à parede. Fazia sua refeição lentamente, como se fosse sua última, sabia que Mike e Sam costumavam fazer o dejejum próximo das oito. Terminava de adoçar seu café quando percebeu uma presença ao seu lado.

– Pois não? – Theo perguntou de forma educada, correndo os olhos para o lado.

– Sua vagabunda… – Mike ergueu Theo pelo braço, a atirando contra a parede.

 

Empatia: s.f.: Capacidade de se identificar com outra pessoa e compreendê-la emocionalmente. É o princípio do altruísmo.

Capítulo 25

Facebook

comentários

Comments (55)

  1. FlavinhaP

    caraca a theo sofre viu,será que vai ter acontecer uma desgraça maior pra sam sair dessa inercia?

    Reply
  2. ada

    imaginei mil coisas menos o que aconteceu…rsrsrsrs por que será que estou imaginando uma gotinha de veneno no sorriso da Cristiane ao final desse cap? de qualquer maneira vou continuar imaginando e acho que a Sam não vai desistir levar a Theo com ela, nem que seja a força, afinal ela precisa levar um gelo da Theo e distancia nem tem muita graça….rsrsrs

    Reply
  3. Lai

    Oiee Schwinden,
    Caramba, esse capítulo foi muito bom!
    Essa forma arrogante de Mike ver a vida e de achar que o q ela fala é lei pq ele foi criada com oa valores corretos. Ele nunca se perguntou se o q a igreja fala é a realidade mesmo? Afinal, quem é cordeirinho é ele…Ele deveria se perguntar. .se Deus é tão bom como ele diz como esse ser tão perfeito poderia criar sentimentos negativos por um outro ser humano. Ou criar homossexuais? Sera q isso n seria uma construção errada da sociedade para nos manipular? Para dividir a sociedade em grupos rivais e assim ser mais fácil? Pra uma pessoa matar a outra, fazer mal, deve colocar ela como uma ameaça, , inimigo
    N é pertinente isso aqui, mas ainda assim devemos entender o Mike..afinal o cap fala de empatia…entender o meio onde foi criado,podemos nos chatear, mas entender os 3 lados…
    O capítulo começa com Sam pensando q Mike sabia algo. N acredito, normalmente as pessoas q fazem algo escondido fica c essa “paranóia”.
    Sam sempre muito confusa, é um processo doloroso esse.Imagine q ela construiu uma realidade e viu que existe outra diferente do q lhe foi imposta.E ela n sabe ou n consegue confrontar Mike.Magoa ela e Theo…e ela vê em Mike mt do pai..se sente mal amada, mas isso tb n é pertinente kkkkkk.Mas sempre quis dizer!
    Mike, ainda que todos os homos fossem dissimados iriam nascer outros pq a sexualidade é uma construção e isso n se controla pq j é doença.E
    E vc q se diz bom n ta tendo uma atitude ruim querendo mal ao outro? Acho que vc deturpou as metáforas da Bíblia. .
    As doencas sexuais continuariam pq n tem a ver com os homossexuais, na verdade a porcentagem mostra p contrário. A pedofilia tb n tem a ver com a orientação sexual e sim com outros processos da mente, como um constrói a realidade e sua sexualidade. Processos mais complexos.
    Sobre a inversão de valores. Oeu aO q seria isso? Valores esses criados pela igreja ? ? É correto vc matar o outro pq ele é diferente? Acho q qiem ta invetido é vc..q se deixou controlar. A cultura tb vai mudando e vc ficou bem atrasado como mts. Tem q mudar viu!
    Sexo sujo? Q eu saiba se há consenso entre um casal se pode fazer td…nn existe sujeira aí.
    Imunda ta seus valores e visão. .tteremos q limpar viu kkkkkk.Te comeram a cabeça …rsrs.
    Theo gastou toda a empatia dela e foi bom…aassim ela dizendo q ia embora Sam fazia algo…EEu sei q Sam n é nada disso e Theo tb sabe, mas Sam e bem medrosa…rss.Es.E quer satisfazer o pai…
    produção é isso mesmo? Sam falou poq li? rs
    Coitada de Theo….aainda bem q logo vem o próximo cap kkkk.
    Beijosss

    Reply
    1. Schwinden (Post author)

      Hola Chica!
      Bom, como pode ver, Mike demonstrou mais um pouco do seu ódio gratuito, mas os questionamentos que vc fez podem ser aplicados também a maior parte da população mundial, que tem conceitos deturpados como ele. Mike não é um personagem que existe longe de nós, tem um pouquinho de Mike no nosso dia a dia, na nossa casa, na nossa família, em nossos melhores amigos, e ninguém tá se questionando nada, todos se acham corretos. Eu sei o que estou falando porque já disseminei muito preconceito na minha vida, já fui uma coxinha conservadora e preconceituosa, Mike tem vários “valores” que eu tinha, e nunca passou pela minha cabeça que eu pudesse estar errada.
      Eu só comecei a me questionar e a mudar de postura depois que entrei numa minoria (a de homossexuais), se eu não fosse gay provavelmente seria uma Mikezinha até hoje.
      Isso aí, empatia inclusive por Mike.
      Então, Mike realmente suspeitava de algo, depois de ver a tatuagem no pulso e o afago no banheiro, ele percebeu que tinha algo ali, só não sabia se elas haviam consumado ou não. Na dúvida, ele resolveu dar uma de lésbica na cama a noite, comendo Sam com as mãos, foi uma espécie de teste.
      É pertinente o que você disse de Sam enxergar o pai em Mike, no seu íntimo ela sabe que precisa casar com um cara como seu pai, seguindo a tradição.
      Você está ciente de todas as explicações que você deu, mas se eu perguntar agora para algum conhecido ou algum amigo no Facebook se pedofilia é coisa de viado, ele vai dizer que é sim. Ou seja, somos minoria, Lai. Lembra quando a atriz e agora deputada Miriam Rios disse que nunca contrataria uma babá lésbica para cuidar de suas filhas, porque ela abusaria de suas crianças? Essa é a mentalidade mundial e geral.
      O termo sexo sujo que eu uso e abuso, eu tirei da bíblia…
      Bom, mas o capítulo 25 deu uma remexida nisso tudo, não é? hehe
      Besos!!

      Reply
      1. Kite

        Isso é muito verdade, eu tinha uma postura em relação aos transexuais muito parecida que o pessoal que diz que “tolera” os homossexuais tem, aquela coisa de dizer que respeita sem respeitar de verdade.

        A gente precisa tomar cuidado com nossos “valores”, é muito fácil justificar preconceitos com eles, mas cabe analisar o porquê de não aceitarmos algo, exercitar a alteridade é muito importante e não é a coisa mais fácil do mundo.

        Confesso que foi apenas quando um dos “meus” teve a coragem de abrir seu coração e conversar com a gente sobre esse assunto que eu consegui sair da minha névoa de falsa aceitação e encarar o quanto eu também era mesquinha e preconceituosa.

        Reply
  4. Cristiane Schwinden

    Tanta bomba no mundo, e nenhuma cai na cabeça do Mike…
    Ah, eu sentiria falta de Mike, acredite, ele é um dos meus personagens preferidos, ele é útil (para a história).
    Muitos Tocantins para você!

    Reply
  5. Cristiane Schwinden

    Cabia mais alguns adjetivos para Mike, não é mesmo? Eu teria xingado também de ruim de cama.
    O cap 25 já está no ar, vamos entender porque Sam contou para Mike, se bem que ainda não sei se foi uma boa ideia da tenente.
    E eu ri muito com o final do seu comentário auahauhaua Quanta violência…

    Reply
  6. Cristiane Schwinden

    Patricia Kelly Foi hidrometa estragada.

    Reply
  7. Cristiane Schwinden

    Seríssimo. Mike foi o personagem mais fácil de compor, vejo Mikes por aí todos os dias, o discurso dele é reproduzido por homens e mulheres o tempo todo, no meu Facebook já vi vários comportamentos dignos de Mike.
    Bom, até a paciência de Theo tem limite, então…
    Gosta de cliffhanger? Teremos alguns pela frente. SIIIIIIIIIIMMMMMMM

    Reply
  8. Cristiane Schwinden

    Aff é pouco. 😉

    Reply
  9. Cristiane Schwinden

    Essa menina também tem me surpreendido.

    Reply
  10. Suzana

    Só por desencargo de consciência vou perguntar: Posso ir dormir tranquila, ou tem ainda vai ter atualização hoje?!rs ( Tá difícil controlar a ansiedade.rs)

    Reply
    1. Schwinden (Post author)

      Oi Suzana, depende do estado etílico em que eu chegar em casa hoje, se eu enxergar o teclado, postarei essa madrugada. Fique ansiosa não, ainda não matarei ninguem nesse capítulo 😉

      Reply
  11. Lilic

    Estou desconsolada… Não sei mais quem é a Sam…
    Sabe Cris, se eu tivesse que apostar no que vai acontecer, eu diria que Mike vai bater na Theo e Sam não vai fazer nada pra impedir… Bom, você aparentemente tá querendo encher nossos corações de ódio contra Sam… E isso seria o que encheria o meu! Estou fazendo um esforço sobre-humano para compreendê-la, mas tá dificil… De qualquer forma, Sam vai sofrer na mão desse noivo dela, principalmente agora. Por que danado ela contou pra ele sobre o caso com a Theo? O que ela achou que ia acontecer afinal?

    Sobre Theo2, eu pensei no começo que ele tinha alguma coisa a ver com Elias, mas vejo que isso nao tem nada a ver… Acho que ele é de fato um cara legal, talvez queira roubar uma casquinha da Theo, mas nada mais que isso. Se quisesse fazer mal já teria feito, né?

    BJ!

    Reply
    1. Schwinden (Post author)

      É essa dúvida que quero levantar: a Sam é aquela que esteve com Theo nas últimas semanas, ou é essa de agora (e de sempre)? Qual é a verdadeira?
      Juro que esse comportamento de Sam está tomando vida própria, ela está pior do que eu imaginei, eu gosto de seguir o fluxo da narrativa, não me importo de fazer mudanças se os personagens pedirem por isso no decorrer. Por isso talvez ela atravesse uma linha imaginária do aceitável, e se ultrapassar essa linha, não tem volta. Theo nunca confiou nela, e agora vai confiar menos ainda.
      No próximo capítulo entenderemos as razões por quais Sam tomou a decisão de contar isso à Mike, mas caberá à vocês decidirem se foram motivos razoáveis ou não. (esse monte de plural ficou estranho.)
      Não posso publicar o próximo capítulo porque ainda não tem nome.
      (O 26 tem nome, se chama Carmesim)
      Sobre Theo 2, ele não ganhou foto na ficha de personagens a toa. Acho que ele é um bom moço.
      Bom, vou continuar a escrever o 29, parei no meio de uma cirurgia.
      Beijos!

      Reply
      1. Lilic

        Sam sempre foi assim? Espero que ela aprenda a defender suas opiniões, e isso significa contrariar algumas pessoas!! Engraçado que ela já fez isso… Afinal, ela fugiu do quartel contra tudo e todos!! Então, se ela foi capaz daquilo, por que agora age assim?

        Desde que li o capítulo eu estive me perguntando se Sam é assim submissa com relação a todos os homens, somente a Mike ou a todas as pessoas… Mas talvez o buraco esteja em outro lugar. Acho que no fundo Sam é submissa aos princípios… Esses religiosos e culturais que ela aprendeu na Europa. Mike é apenas a personificação deles, e uma bem forte, já que ele é de um radicalismo impressionante.

        As respostas (escrotas) que ela deu a Theo, as coisas que falou, a sua sujeição às vontades do noivo, acho que tudo isso é resultado dessa incapacidade de questionar os ensinamentos que recebeu, principalmente no que diz respeito ao papel da mulher e da família na sociedade.

        Por outro lado, quando não tinha ninguém por perto para apontar o dedo e julgar, Sam conseguiu abrir um pouco a mente e deixar esses ideais de lado para viver o que viveu com Theo. Então talvez o que ela teme mesmo é a rejeição…
        Seguir as crenças de forma regrada deve ser a forma que ela tem de se sentir aceita e acolhida. Cada vez tenho mais certeza da carência dela, existe um rombo afetivo dentro daquele coração, que apesar de artificial é mais real do que qualquer outro na história.

        Reply
        1. Schwinden (Post author)

          Espero que sua pergunta tenha sido retórica, porque não vale rebater a pergunta que eu fiz. :p
          Mas entendi o que você levantou a seguir, Sam é refém da cultura e da criação que teve, claro que isso não a isenta de culpa pelas merdas que faz e fala, mas a vida dela foi norteada em função de encaixar-se no modelo esperado, ser mais uma Lindsay da vida.
          p.s.1: Achei foférrimo seu último parágrafo.
          p.s.2: Gio nos abandonou temporariamente.

          Reply
      2. Lilic

        Ah e como assim Theo nunca confiou na Sam? Confiar em relação a quê?

        Não vai publicar o próximo capítulo porque ele ainda não tem nome? Não seja por isso, eu nomeio! (cara de pau) Se esse se chama ‘empatia’, o próximo poderia se chamar ‘antipatia’ – ou sinônimos, pois tenho certeza que é isso que sentiremos por ele!!! (ps. Não faz a theo sofrer muito não…)

        O capítulo 26 se chama Carmesimmmm?? o.o
        Ai Cris…
        Eu lembro muito bem da última vez que você colocou vermelho no nome de um capítulo!!

        Reply
        1. Schwinden (Post author)

          Sobre Theo não confiar em Sam, você entenderá melhor isso com o flashback de Theo.
          Hum, antipatia acho que não define, mas você acabou de me dar uma ideia para o nome do capítulo.
          Eu jogo o anzol e fico esperando vocês morderem… xD Nem sempre enxergam o anzol, mas você enxergou esse do Carmesim, parabéns!

          Reply
          1. Lai

            Oiee, me . metendo onde n fui chamada!
            Primeiro, em minha opinião, Sam é um pouco de cada, ela é a submissa, , é essa pessoa mais aberta, a que viveu con Theo, , é o conjunto Q forma a personalidade dedela.So q ela reprimia essa parte. aali n tinha nenhuma autoridade ou ng sabendo o que acontece, logo ela podia ser quem ela quisesse. N tinha ng dizendo pra ela seguor certos valores. Mas Mike chdgou impondo as regras de novo e ela n tem coragem ainda para enfrentar ,n Mike ,mas todos esses valores.
            Lilic n fiquei assim em relação a Sam, , cadê a empatia?Ela foi criada de um modo mt rígido, esta mt condicionada, ainda que ela saiba que o q Mike diz n é totalmente certo, ela tem dúvida se oq ela viveu ta certo.Habitos são difíceis de serem mudados. O cigarro faz mal, vc sabe, mas sua psique e corpo tão condicionados, hábitos e leva tetempo.Pq te faz mal e te faz bem..nn sei se me fiz entender.
            Ela contou pra Mike de Theo pq ta desesperada, acho q foi algo impulsivo e outras razões q ainda n sabemos rs..eela sofre pelo q ela quer e pelo q ela deve fazer…(cel é ruim demais pra escrever. .rs).
            Todos nos necessitamos encaixar num grupo..as x fazemos coisas q n queremos. Sam ta vivrndo agora, se descobrindo..vvemos de fora, mas dentro desse dela é complexo. Imagine q pra nós qdiferenteq tamos lendo e q pensamos diferente é kt mais fácil julgar, mas qbdo passa algo q eata fora do nosso padrão desconstruir uma idéia leva tempo. .nn é fácil …maas o tempo e espaço é diferente pra cada um…
            Cris vc é uma bbandida sempre mudando td e nem posso seguir psicologia coerente sobre Sam..mme dekxa louca! rs.Srs.Sam é mais complexa q Lina…
            Beijinhos pra vcs
            P:Ps:AAndo atrasada, mas pq to atrasada jos estudos e tive q fazer uma prova de cosmologia q keninas..qq era isso..rrsrd.Frsrd.Foi complicado rsrs.
            E vc n quis fazer comigo Schwinden. .é galáxia pura, ,nebulosa, lei da gravidade. .tta mt bom!!!;)

            Reply
            1. Lilic

              Oi Lai! Então… Eu não disse que estava “de mal” com a Sam, eu disse que ficaria com muita raiva se ela simplesmente assistisse Mike batendo na Theo sem nem sequer tentar impedir. Sim, porque, por mais compreensivo que a gente tente ser, chega um momento em que uma linha é ultrapassada… É aí que a fala mansa se acaba e chegam os ultimatos e as atitudes mais rígidas. Claro que quanto mais a gente exercita a paciência menos rápido a gente atinge essa linha, mas um dia ela chega… Concordo que exercitar a empatia e a paciência seja algo positivo, já que problemas geralmente não se resolvem num estalar de dedos. Mas também é importante a existência dessa linha, do contrário prolongaríamos uma situação de sofrimento eternamente…

              Ah, e quando eu disse que tava difícil compreender a Sam, não foi porque eu tava sentindo rancor dela ou algo do tipo, mas sim porque eu não tava conseguindo encaixar as peças do quebra-cabeça. Uma hora ela se rebelava, era corajosa, noutra ela era completamente submissa, insegura. Mas você tem razão, ela é um pouco de cada e com certeza vai aprender e crescer mais durante a história.=)

              Um beijo
              ps: como já disse antes, pode se meter à vontade! ^^

              Reply
            2. Schwinden (Post author)

              Eu fico feliz por estar deixando todo mundo confuso com relação a Sam, nestes últimos capítulos estou conseguindo delinear melhor a personalidade dela, e como você disse, ela é mais complexa do que imaginamos, concordo que é bem mais que Lina, que era no fundo meio bichinho do mato.
              Você queria que eu fizesse uma prova de cosmologia? Como assim?

              Reply
  12. Diin Tvrs

    E eu que odiava a Lina…
    Sam me enoja com essa passividade toda… E ainda fez merda!
    Conhecendo a peste que ela chama de noivo, devia ter contado depois que a outra estivesse a salvo no abrigo…
    Mas nao! Vamos f*** a ceguinha!

    Reply
    1. Schwinden (Post author)

      Din, parabéns, você foi a pessoa que mais me fez rir com um comentário, sério, eu ri alto aqui com o “Mas nao! Vamos f*** a ceguinha!” ahahuhahauhauhauah
      Meo, a ceguinha só se fode, e não será diferente no próximo capítulo.
      Agora uma curiosidade: seu ódio por Lina passou?

      Reply
  13. Nay Rosário

    PQP! Tocantins para Theo,porque Palmas ainda é pouco. Sam não se decide e fica fazendo a garota sofrer. Sinceramente, se o Mike sofrer algum atentado ou uma bomba estourar nele eu não me incomodo não. Não vou sentir falta. Muit pelo contrario.

    Reply
  14. ada

    ansiedade mata? tô doida que esse Mike receba uma lição bem dada e pelo próximo cap….

    Reply
    1. Schwinden (Post author)

      Ansiedade não mata, mas o noivinho sim.

      Reply
  15. mel

    Oi…
    Acho incrível a capacidade de Mike ser tao absurdo nas coisas que faz e fala… Fico aqui pensando nessa passividade de sam, por que ela e assim? Visto que ela nem tem a programação que altera seus sentimentos por Mike, talvez ela esteja tao acostumada com as coisas arraigadas dentro dela que ela nem tem força pra lutar, apesar dela ter essa força… E Theo, bom, finalmente tomou uma atitude e resolveu se afastar, bem que disseram que ela não iria ate o fim, apesar de achar que vem bomba por aí… To com a impressão que o theo2 ta rastreando a Theo, agora ficou mas fácil… Eita divaguei aqui…

    E…

    Quando sai o próximo???…

    Reply
    1. Schwinden (Post author)

      Oi Mel!
      Sam é um caso um pouco mais complexo do que parece a primeira vista, e nesse capítulo 25 entenderemos mais um pouco do temor que ela tem por Mike. Mas é por aí, ela não tem ideia da força que tem dentro dela.
      Continue com suas impressões, são muito boas!
      Beijos e obrigada.

      Reply
  16. Patricia Kelly

    Really? kkkkk maconha estragada foi a melhor..

    Reply
  17. Ana Bela

    Assim… Tens a certeza que isto se passa em 2000, portanto no futuro? A mim mais pareceu-me ter retrocedido para nem sei quantos anos atrás. Senti-me numa realidade paralela. Nem sei se estou a fazer sentido, mas é que na minha cabeça de menina isto acontecia no passado não no meu futuro. E para piorar- com o Mike só piora – ele tem a lata de falar em Deus e blá blá blá. E a Sam? Acho que estás a retratar uma forma de violência doméstica. Pois só pode. É bem subtil mas está presente.
    Eu só pedia respeito a uma pessoa como Mike. Não gosta? Não aceita? Mas pelo menos respeita. E por favor peça também à menina Sam que respeito por ela mesma e que reaja, por favor.

    Se por acaso bater na Theo, que apareça o Theodore para defendê-la. E seria muito bom ver o Mike a levar uma tareia de um homem igual a ele.

    Eu solidarizo muito com a ceguinha ceguinha Theo pois eu vejo tão mal que sei o que não é poder ver ao longe. É ruim demais. Felizmente, ainda vejo.

    E ninguém me tira da cabeça que o Mike tem alguma ligação com o que a Sam procura. E qual foi a dele de não querer ir para Bahia?

    É melhor parar de escrever porque não devo estar a fazer muito sentido mas é que revolta uma pessoa ver o mau carácter alheio. Enfim…

    Só mais uma coisinha se a s
    Samantha continuar assim eu entro na história( como se eu pudesse e mandasse) para despertá-la para a vida. E ainda depois de ter dito que a Theo devia morrer vai cobra-la de a estar a deixar? Eu não a odeio como já disse ela é muito carente, consigo percebê-la mas há limites.
    Se ela continuar assim vai perder a única pessoa que se importou com ela de verdade.

    Estou ansiosa para o próximo capítulo.

    Bjs

    Reply
    1. Schwinden (Post author)

      Olá Ana!
      Eu sei que parece estranho esse tipo de comportamento em pleno 2121, mas eu quero tentar mostrar o que aconteceria com uma nação caso uma igreja voltasse a governar em conjunto com os dirigentes, a tendência é retroceder. Percebeu que na lanchonete a garçonete não entendia a homofobia de Mike? Porque na Nova Capital, apesar do governo restritivo, o estado é laico, então com o passar dos anos alguns preconceitos diminuíram bastante, a homofobia é mínima.
      O mais chocante em Mike não é seu comportamento, e sim que ele é a personificação da maior parte dos homens (e mulheres) do mundo atualmente. O discurso dele é atual, é o que eu ouço nas ruas e nas redes sociais. Acredite, tudo em Mike é baseado em coisas que abundam na nossa sociedade.
      Os preceitos religiosos e arcaicos que ele e Sam reproduzem são fielmente retirados de blogs religiosos que visito (e que meus amigos e parentes “curtem” no Facebook).
      “Se por acaso bater na Theo, que apareça o Theodore para defendê-la.” Boa vidência, Ana. 😉
      Está em dia com seu oftamologista? rs
      Aguardo seu comentário acerca do comportamento de Sam no capítulo 25.
      Beijos!

      Reply
  18. Te

    Mais um capitulo doloroso,angustiante como você escreve bem Cris meche com nossas emoções boas e ruins. Quanto ao capitulo poxa vida o desespero da Sam pela iminente partida da Theo acabou colocando as duas em perigo nas mãos do louco do Mike eu aposto que ele também agrediu a Sam antes de ir tomar satisfação com a Theo curiosíssima para saber como será daqui para frente

    Reply
    1. Schwinden (Post author)

      Oie Te!
      Brigada! 😉
      Arte serve para incomodar e fico feliz que esteja conseguindo incomodar vocês com sucesso… rs
      Prepare-se porque ainda tem boas emoções pela frente.
      Beijos!

      Reply
  19. Maria Clara Batista

    Finalmente a paciência da Theo se esgotou, acho inclusive que ela foi até fina com a Sam e os adjetivos do Mike (porco machista egocêntrico misógino e homofóbico kkk adorei). E novamente baixou a bipolaridade da Sam, ela é perturbada do juízo, só pode, pq é muita mer… que ela faz. Para que ela foi dizer ao Mike? Fumou maconha estragada, única explicação. Já não consigo mensurar o quanto tenho raiva dela. E de novo a Theo se machucou e por conta da Sam. Se ela chegar e não bater com pelo menos uma cadeira no espinhaço daquele nojento, vou torcer que ela morra. aff

    Reply
  20. Karoline Farias

    Putz, é sério isso?? Cara, de onde vc tirou inspiração para criar o Mike ? Pessoa odiosa ele, acho q ele só é bom em ser antagonista. Mal posso esperar pra quando a Sam explodir e descontar toda essa humilhação na cara desse arremedo de homem. Eu que a Theo aguentou muita coisa , ela deve estar muito, mas muito apaixonada pela Sam pra aguentar o Mike até agora. Espero que ele não surre ela, a coitada tá sempre se machucando. Foi um ótimo cliffhanger, fiquei que nem o esquilo NOOOOOOOOOOO kkkkk

    Reply
  21. Mayza

    Sei que a minha opinião vai totalmente contra a lógica da história, mas eu acho que Sam não merece Theo. Finalmente a menina resolveu dar um basta nesse festival de humilhações, mas a babaca da Sam não poderia deixar de fechar a situação com chave de ouro.

    Reply
    1. mel

      Realmente… Sam tinha que fechar com chave de ouro…

      Reply
      1. Schwinden (Post author)

        Sam não curtiu.

        Reply
        1. Kite

          …rsrs ai ai

          Reply
    2. Schwinden (Post author)

      Mayza, Mayza… A menina tá confusa, vamos dar um voto de confiança para ela… rs
      Mas realmente foi um gran finale para essa sequência de erros.

      Reply
  22. ada

    PQP, não acredito que vc terminou o cap ai, Cristiane só vou te perdoar quando esse nojento estiver apanhando e muito. sentir agora uma saudade grande da Ana e companhia….e vou falar tô com raiva da Sam… Quando você vai postar o próximo cap?

    Reply
    1. Helena Noronha

      Muita saudade da Ana e da Jennifer tbm, aquela dupla era demais…
      Eu acho que a Sam ainda vai amadurecer, da pior forma, mas vai…

      Reply
      1. Schwinden (Post author)

        é impressão minha ou vcs meio que esperavam que Sam fosse como Anna? XD
        mas a proposta é bem diferente, então Sam tb é bem diferente de Anna…
        Se tudo der certo, ainda esse ano começo a matar a saudade de Anna&Jennifer 😉

        Reply
    2. Schwinden (Post author)

      Olá Ada!
      Estou me especializando na arte de terminar com cliffhangers sacanas, pratiquei bastante na Lince e a Raposa.
      Seria legal ver Anna dando uns tapas em Mike, né?
      Cap 25 no ar!
      Bjos

      Reply
  23. Edna Candido

    aff…

    Reply
  24. ray

    Poxa vida hein! Esse doeu. . .

    Reply
    1. Schwinden (Post author)

      Doeu mais em mim, acredite.

      Reply
  25. Zo Guizzardi

    A Sam tem m…. na cabeça?

    Reply
  26. Patricia kelly

    Posso xingar??

    Reply
    1. Schwinden (Post author)

      Fique a vontade 😉

      Reply
      1. mel

        To aqui xingando todos os nomes possíveis e impossíveis…

        Reply
        1. Schwinden (Post author)

          Só não vale xingar a autora.

          Reply
  27. Byanca

    Comecei a ler ontem e terminei agora pouco, quais as chances de Mike morrer ou sumir misteriosamente? Theo não merece sofrer tudo o que vem sofrendo… Já estou contando os segundos e muitíssimo curiosa para o próximo…

    Reply
    1. Schwinden (Post author)

      Olá Byanca!
      Nossa, ótimo ritmo de leitura, hein?
      As chances de Mike morrer são mínimas, desculpe pela má notícia…
      Obrigada pela leitura, apareça mais vezes!

      Reply

Deixe seu comentário