Combo 2 capítulos + todo tipo de sentimento

Mais 2 capítulos de 2121 postados, porque o capítulo 16 não existe sem o 15, eles precisam ser lidos de uma vez só para que as semelhanças (ou diferenças) possam ser traçadas.

8 mil palavras que avançam a história para um novo patamar. Boa leitura!

Ah, sobre o último desafio, vocês acertaram também, a ligação era a menina do clipe. Só para não deixar esse post sem um desafio, vocês imaginam de onde surgiu a terra natal da Sam (Kent)? É de um bom livro sobre veludo.

06dc77f9347ca2755c90dbee92c6e75b

Facebook

comentários

18 thoughts on “Combo 2 capítulos + todo tipo de sentimento

  1. É, acho que já responderam… Mas, sabe, assim que eu li que era uma referência de um livro, a primeira coisa que me veio a cabeça foi “Sarah Waters”. Acho que você já mencionou que adora os livros dela. Mas como não conheço muito bem, fui pesquisar no google. ^_^ Você já leu todos?

    Falando de livros, você me recomendou o 1984 de George Orwell num comentário anterior. Eu já tinha a leitura deste livro na minha lista de livros a ler, pois ganhei de presente “A revolução dos bichos” do mesmo autor, li, gostei e, claro, quis ler sua obra mais famosa – 1984. Inclusive já o comprei, mas ainda não comecei pois estou terminando a trilogia millennium de Stieg Larsson, cujo tema prevalecente é a violência contra mulheres… Já leu? Caso não, eu recomendo… nem que fosse apenas pra conhecer Lisbeth. =)

    À propósito, creio que violência contra mulheres seja um algo bem familiar à Theo… Tenho a impressão que você ainda vai colocar algum flashback tenebroso com relação a isso. Aliás, não é familiar somente à Theo, pois nem mesmo a Sam passa impune pelo tema, já que a discriminação presente no exército europeu também é uma forma, embora mais sutil, de violência contra mulher.

    1. Tive que comentar seu comentário!
      Por uma semana eu não conseguia fazer nada com qualidade a não ser ler esses livros!
      Você viu que o Stieg tinha um projeto inicial de fazer 10 livros! Seria tão saboroso, pena que ele se foi :/
      Meu preferido é o segundo, pena que não deram continuidade com os filmes estadunidenses, adoro Daniel Craig como Mikael, sei que o pessoal mais cult gosta dos filmes suecos, mas eu gosto dessa coisa cara que foi o estadunidense, Hedestad mesmo, imaginei igualzinha!

      1. Oi Kite! Nossa… 10 livros? Não sabia.. Li uma matéria sobre Stieg no fim do ano passado, mas não lembro de ter visto sobre este detalhe. Li que o cara era defensor dos direitos humanos, uma pessoa que lutava justamente contra o que a europa tem vivenciado hoje em dia, esse crescimento do extremismo político. Com certeza ele estaria publicando um monte de coisas se ainda estivesse vivo… E também que aos 15 anos ele presenciou o estupro de uma garota da mesma idade que ele, mas não fez nada para impedir, simplesmente deixou os amigos fazerem aquilo. E a culpa o assombrou pro resto da vida. Lisbeth era o nome da menina… Enfim, me pareceu interessante ler a biografia dele, mas por enquanto isso ainda não está nos meus planos.

        Sobre os filmes, você chegou a assistir as versões suecas? Eu só assisti a americana, mas eu gostei bastante da Rooney Mara no papel da Lisbeth. Ela conseguiu passar a vulnerabilidade e a força da personagem pras telonas. Daniel Craig também se saiu bem, embora na minha cabeça Mikael fosse bem diferente… 😛 Ah..E aquela sequência de abertura do filme? Fodástica… =)

        Um bj.

        1. Então, assim, li rumores na internet na época em que estava lendo os livros, não posso assim dizer “Nossa, que fonte confiável e verídica!”, mas li alguma coisa sobre serem 10 livros.

          Então, eu assisti os filmes suecos, salvo engano acho que tem no Netflix se quiser se aventurar.
          A atriz que faz a Lisbeth neles é a Noomi Rapace, gosto dela, mas gostei bastante da Rooney Mara também.

          Sinceramente não gostei dos filmes suecos, mas quem sabe você goste, eles não são emocionantes.
          E o Mikael, quem sabe se aproxime mais do que você tem em mente, mas sou suspeita pra falar do Daniel Craig, eu acho ele uma pessoa elegante…rsrs

          Olha só isso aqui:
          http://bookeando.com/site/2015/01/28/quarto-livro-da-serie-millenium-chegara-em-agosto-nas-livrarias/

          :*

          1. Ninguém perguntou mas gostaria de dizer que gostei mais da Noomi Rapace, ela deixou a Lisbeth mais humana.
            E já que tô aqui me metendo, gostaria de dizer que gostei mais do enfoque sueco na relação Lisbeth/Mikael, pq deram uma vertente mais gay para ela, na versão americana romantizaram demais a relação deles.

          2. Mas é que americano tem essa mania de romantizar relacionamentos que não existem, como em Jogos Vorazes, no livro fica claro que a Katniss tá cagando e andando para o Gale, e nos filmes ela morre de amores por ele.

    2. Primeiramente adorei o papo paralelo aqui nos comentários, façam isso mais vezes (mas aviso que irei me meter na conversa sempre que possível).
      Yep, a charadinha era do livro Tipping the Velvet da Sarah Waters, garota esperta!
      Eu li 3 livros dela: Nightwatch, Fingermith e Tipping the Velvet. O que mais admiro na Sarah Waters é a facilidade que ela tem de nos jogar dentro dos cenários, ela é ótima em compor os ambientes internos e Londres.
      Eu queria ler uma boa distopia para escrever 2121, então fui direto numa das mais famosas, 1984, e adorei! O governo é extremamente opressor, a história é sufocante, sem contar que vou percebendo como outros livros e filmes beberam dessa fonte (inclusive meu modesto 2121…).
      Quero muito ler A revolução dos bichos tb, tá na minha listinha.
      Sobre a trilogia Millenium, eu sou fã de carteirinha dos 3 filmes suecos, são muito, muito bons mesmo, mas não li os livros. Na verdade antes de assistir o terceiro filme eu resolvi ler o terceiro livro, já que o box tava dando sopa aqui na prateleira, mas desisti lá pelo segundo capítulo porque não aguentava mais aquele monte de nomes em sueco, percebi que eu deveria ter começado pelo primeiro livro, e deixei pra ler depois. O depois não veio até hoje.
      E realmente o que mais me fascinou nessa história é a força da Lisbeth, como ela enfrenta a violência e o preconceito de forma totalmente bad ass ahuahuahahu
      Você acertou, o tema violência contra a mulher aparecerá mais pra frente em 2121, prepare o estômago.

  2. Lindos capítulos, e sim, o comparativo entre os 2 é gritante e necessário.. Admiro muito suas inspirações e modos de montar o personagem… E isso me gerou uma dúvida: Você é canhoteira? Qual a sua inspiração para a maioria dos seus personagens serem canhotos? Outro Ester Egg? :p
    Não sei se vc já leu sobre, mas dizem que os canhotos são estranhos e geniosos, eu sou canhoteira, e afirmo isso kkkk.. Quantas vezes a pessoas me olham comendo ou fazendo algo (especialmente com objetos cortantes) com a mão errada e se assustam, e mesmo eu sendo uma, sinto a mesma coisa ao vê-los.
    Parabéns pelos capítulos..e aguardo a resposta 🙂

    1. Oie Denise!
      Eu também gosto do diferente, da quebra de padrões, mas confesso que não percebi que tem alguém canhoto em 2121, foi porque Sam chutou as latas com a perna esquerda?
      Anna eu fiz canhota de propósito, pra dar aquela sensação de transgressão numa pessoa toda certinha.
      Legal você ser canhota, chocando as pessoas ao redor ahuahuhaua
      Obrigada pelos elogios, espero te ver sempre por aqui.
      Beijos e boa semana!

Deixe seu comentário